quarta-feira, 10 de abril de 2013

Oiêê!!! Saindo da toca



Oi gente linda!
Tô tantos dias sem postar... na verdade, ando numa luta titânica com minha internet, e não sei o que acontece, mas dificilmente consigo acessar meu blog, ou qualquer site ".blogspot". A página fica bloqueada. Nos momentos como esse, em que o portal se abre, nem sempre posso blogar.
Hoje não vou falar de decoração, embora ande às voltas com a reforma, que pelo jeito, vai finalmente começar na semana que vem. Vou falar de coisas do coração, coisas de mãe. Acabei de voltar da casa de uma vizinha "cuti-cuti", doce, pura, daquelas que te abraçam só com o olhar. Tenho sido cercada por um grupinho assim aqui na rua, e tem sido um presente do Pai do Céu. Foi uma conversa tão gostosa! Um culto, para alguns uma missa (não num sentido massante das duas palavras, mas num sentido vivo, inspirador).
Tenho vivido numa sede ultimamente, de procurar a verdade, de ouvir o aprendizado que está por trás de cada palavra dita, de cada situação ao meu redor. Trocar palavras com essa querida irmã foi um presente, como foi ontem na casa da Nil, como foi de manhã, trabalhando enquanto escutava o Caio na Vem e Vê TV, como foi lendo o blog da minha querida Autumn, que venceu um tumor, nova, linda, cheia de vida e força de vontade, como foi conversando por telefone com a Marinha, com quem troco minhas angústias de mãe. E Deus vai falando, vai se revelando, vai tratando, às vezes cutucando. 
E eu vou ouvindo. Tô precisando, e estou "sendo precisada". Estou aprendendo que essa é a missão que Deus colocou em mim. Talvez não seja à toa que eu ame tanto meu lar, que estar em casa seja um prazer tão grande. Eu não preciso me sentir menor, menos importante do que as lutadoras que precisam deixar os filhotes numa creche e correr pra uma empresa, ou do que as que dirigem importantes trabalhos sociais. Você não precisa se sentir menor por não ter queimado seu sutiã na praça. Cada uma de nós tem seu valor, seu lugar, seu caminho.
Aqui é exatamente onde EU devo estar, atenta ao que posso fazer pra ajudar, aberta pra ouvir, humilde pra pedir ajuda. Preciso parar com meus complexos de madre Tereza, sempre achando que o que estou fazendo da minha vida não é realmente importante. Quando olho para meus filhotes, e fico feliz por poder estar com eles, vê-los crescer, fazer curativo no joelho e no coração, eu vejo isso: Aqui é exatamente onde EU devo estar.
Obrigada, Paizinho... esse dia foi um culto, e a vida de minhas amigas foi Tua mensagem pra mim. Obrigada por me alcançar de formas tão inesperadas, e obrigada, porque é Teu amor e Tua graça que abrem meus olhos pra ver o deve ser visto...
Beijicos, e que os dias de vocês sejam cheios de significado e valor! Chega aí... eu vou estar aqui!

3 comentários:

  1. Que lindo Sheila, como é bom quando Deus nos fala das formas mais diferentes e inesperadas, amei ler o seu post. Um grande bj

    ResponderExcluir
  2. você tem um ótimo blog ^ ^
    você quer seguir um ao outro?
    siga-me e me avise com um comentário
    e siga você também :))


    beijos
    http://lemonchicbeautyfashion.blogspot.it/

    ResponderExcluir
  3. olá!!!!
    Vim dar uma façadinha no seu cantinho e ele me encantou, os detalhes, o amor em cada postagem, mesmo as antigas.
    Muito legal!!!
    Está na minha listinha, pois quero voltar muito mais vezes.
    bjs
    Ritinha

    ResponderExcluir

Vou ficar muito feliz se você comentar! Sua participação me inspira!